Legião Urbana

Dois (álbum)

Dois é o segundo álbum de estúdio da banda brasileira de rock Legião Urbana, lançado em julho de 1986. Ocupa a 21ª posição da lista dos 100 maiores discos da música brasileira pela Rolling Stone Brasil.[3] Em setembro de 2012, foi eleito pelo público da rádio Eldorado FM, do portal Estadao.com e do Caderno C2+Música (estes dois últimos pertencentes ao jornal O Estado de S. Paulo) como o terceiro melhor disco brasileiro da história.[4] É o segundo álbum mais vendido da banda, com mais de 1,8 milhão de cópias, e considerado por muitos o mais romântico. "Tempo Perdido" fez um grande sucesso e se tornou num dos clássicos da Legião. "Eduardo e Monica", "Índios" e "Quase sem Querer" também fizeram sucesso.[5][6]

Na época do lançamento, a crítica do jornal elogiou o disco, afirmando: "Você morde e vê que ali tem carne. Sangrando. O gostinho de Smiths no lado A, com o letrista e vocalista Renato Russo enchendo a boca em Daniel na Cova dos Leões ou Tempo Perdido, na verdade apenas prepara o terreno para a paulada do lado B, como em Metrópole e Fábrica."[7]

Dois foi realmente um desafio, pois tivemos prazo para criar e havia muita expectativa, tanto da gravadora quanto da própria banda.
— Marcelo Bonfá[1]
O sucesso do álbum anterior fez com que Renato Russo cogitasse fazer o segundo álbum como duplo, intitulado Mitologia e Intuição. A gravadora, porém, não se entusiasmou com a ideia, e o álbum acabou sendo simples.[8] Mesmo assim, acabou responsável pela maior quantidade de vendas da história da Legião Urbana, alavancado pelo sucesso de "Eduardo e Mônica", uma faixa que era considerada difícil,[9] por não ter um refrão. O álbum vendeu mais de 1,8 milhão de cópias.[5][6]

A canção "Tempo Perdido" que integra o álbum inspirou o título do filme Somos tão Jovens.[10]

A faixa "Fábrica", assim como "Perfeição", do disco O Descobrimento do Brasil, foi gravada, anos mais tarde, em uma versão em espanhol, pela banda argentina Attaque 77. "Daniel na Cova dos Leões" abre o disco e no início da gravação, ouve-se algo parecido com um rádio mal-sintonizado tocando um trecho de "Será" e alguns trechos do hino da Internacional Socialista.[1] "Plantas Embaixo do Aquário" faz menções à Guerra Fria.[1]

A música "Química", que estaria no próximo trabalho do grupo, apareceu no disco Dois como faixa bônus, mas somente no K7. A versão dessa música é diferente da gravada no álbum Que País É Este 1978/1987.

O nome de uma das faixas, "Andrea Doria", faz referência a um navio italiano, o SS Andrea Doria, que seguia para Nova York quando naufragou em 25 de julho de 1956, após se chocar com uma outra embarcação de bandeira sueco-americana chamada Stockholm. Ao contrário do ocorrido na tragédia do RMS Titanic, a maioria dos passageiros foi resgatada com vida, restando um saldo de 51 mortos e o desaparecimento de algumas obras de arte italianas.[11]

Lado A
N.º Título Duração
1. "Daniel Na Cova Dos Leões" (Renato Russo/Renato Rocha) 4:00
2. "Quase Sem Querer" (Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Renato Rocha) 4:40
3. "Acrilic On Canvas" (Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Renato Rocha/Marcelo Bonfá) 4:40
4. "Eduardo e Mônica" (Renato Russo) 4:31
5. "Central Do Brasil" (Renato Russo) 1:34
6. "Tempo Perdido" (Renato Russo) 5:02
Lado B
N.º Título Duração
1. "Metrópole" (Renato Russo) 2:49
2. "Plantas Embaixo Do Aquário" (Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Renato Rocha/Marcelo Bonfá) 2:54
3. "Música Urbana 2" (Renato Russo) 2:40
4. "Andrea Doria" (Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo Bonfá) 4:53
5. "Fábrica" (Renato Russo) 4:56
6. "Índios" (Renato Russo) 4:17
7. "Química" (Faixa Bônus apenas na versão em Tape - Renato Russo)